Home / Roteiros / América do Sul / As magníficas Cataratas do Iguaçu
As magníficas Cataratas do Iguaçu

As magníficas Cataratas do Iguaçu

Hoje é dia de conhecer as magníficas Cataratas do Iguaçu (lado brasileiro)!

Informações sobre as cataratas brasileiras

  • Está localizada no Parque Nacional de Iguaçu, em Foz do Iguaçu, Paraná.
  • O parque foi criado em 1939 e é considerado Patrimônio da Humanidade desde 1986.
  • As cataratas foram escolhidas por votação mundial para serem uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo em concurso realizado pela Fundação New 7 Wonders.
  • De toda a extensão das cataratas, o lado brasileiro equivale a apenas 20% do total. Ou seja, não deixe de visitar o lado argentino das cataratas, só assim você poderá dizer, de fato, que conheceu as Cataratas do Iguaçu (ou Iguazu). A opinião de que o lado argentino é mais bonito que o lado brasileiro é compartilhado inclusive pelos guias de Foz.

Veja o post-índice sobre nossa viagem de 5 dias em Foz do Iguaçu

Como chegar?
Acesso pela Avenida das Cataratas, em Foz do Iguaçu, e você pode ir de:
Ônibus – linha 120 Parque Nacional, que também passa no Parque das Aves (que é vizinho);
Táxi: se você estiver hospedado no centro vai custar em torno de R$ 40 (quarenta reais a bandeira 1), se estiver na Av. Das Cataratas vai custar menos;
Transfer contratado: muitos hotéis vendem este serviço, é na faixa de R$50/pessoa;
E também pode ir de bicicleta se for corajoso e atleta. 🙂

Quanto custa?
Existem 3 tipos de ingressos: o “Integral” (para estrangeiros com exceção dos moradores do Mercosul), o “Brasileiros” e o “Mercosul”.
O valor total é a soma de 3 itens: o ingresso + o transporte dentro do parque até as cataratas + o fundo de desenvolvimento e promoção turística do parque.

Ingresso Integral: Adultos R$49,20 / Crianças (de 2 a 11 anos) R$7,90, pois é dispensando do ingresso que custa R$40 e do fundo de desenvolvimento, que custa R$1,30. E neste caso de ingresso infantil é preciso levar a documentação para comprovar a idade.

Ingresso Brasileiros: Adultos R$29,20 / Crianças (de 2 a 11 anos) e Idosos (a partir de 60 anos) R$7,90, pois são dispensandos do ingresso que custa R$20 e do fundo de desenvolvimento, que custa R$1,30. Nos dois casos é preciso levar a documentação para comprovar a idade.

Ingresso Mercosul: Adultos R$39,20 / Crianças (de 2 a 11 anos) R$7,90, pois é dispensando do ingresso que custa R$30 e do fundo de desenvolvimento, que custa R$1,30. Neste caso é preciso levar a documentação para comprovar a idade.

O ingresso pode ser comprado pela internet (clique aqui para acessar as vendas on-line das Cataratas do Iguaçu) e ao chegar no local basta ir ao guichê específico para quem já comprou e trocar pelo ticket de entrada. No dia que fui compramos na hora e não passamos nem 2 minutos na fila, foi super tranquilo, sem tumulto e bem rápido.

Como é dentro do parque?
Saindo da bilheteria tem uma plataforma como se fosse um mini-terminal rodoviário, então você pega o ônibus das cataratas (com pinturas de cobras, quatis, borboletas) ou o ônibus da empresa de turismo que você está fazendo o passeio. Se você estiver com excursão, provavelmente o guia vai pedir para você colocar um adesivo (ou crachá) na roupa pra identificar que você é do grupo dele. Mais à frente falarei mais sobre um benefício desta identificação.

A rota da bilheteria às cataratas é linda, muito verde por todos os lados. Haverá uma parada no Macuco Safári, mais ou menos no meio do caminho, para quem vai fazer o passeio de barco.

Clique aqui para mais informações sobre o Macuco Safári.

Quem não quer fazer o passeio de barco segue direto para as cataratas, e a parada do ônibus é bem em frente ao Hotel das Cataratas, o único hotel dentro do Parque Nacional do Iguaçu e que tem uma diária de aproximadamente mil reais em quarto duplo.

Descendo do ônibus há um outdoor com o mapa das trilhas que percorremos e logo à frente já tem um acesso ao primeiro mirante. Ao descer as rampas para este mirante você já dá de cara com os famosos quatis do parque. São muitos, muitos mesmo, e se der atenção a eles ou se inventar de oferecer comida (você não precisa disso pra chegar bem perto deles!), eles vão até tentar subir em você, todos de uma vez. Mas não se engane, apesar de o parque não ter avisos alertando sobre o perigo de chegar perto desse bichinho, o lado argentino divulga durante todo o percurso que os quatis, quando provocados, podem morder e arranhar causando grandes ferimentos. As garras e os dentes são enormes, então tenha cuidado e não largue suas crianças pelo parque, principalmente se elas estiverem comendo alguma coisa, pois ele vai puxar da mão dela e pode machuca-la.

Bem, o primeiro mirante vem depois de descer umas rampas e já dá uma boa ideia do que te espera mais à frente, é muito bonito e as pessoas já ficam encantadas logo à primeira vista.

Seguindo mais adiante tem outro mirante onde as pessoas fazem uma fila pra bater foto. Neste mirante, dependendo da vazão das cataratas, já pode te molhar. Um câmera GoPro é bem vinda, ou então outra à prova d’água.

Desça mais algumas escadas e algumas rampas e logo à frente você vai chegar à famosa passarela sobre o rio. (Pois é, o percurso é pequeno mesmo!).

Nós estivemos lá no inverno e apesar da quantidade de chuva ser maior na primavera e no verão, a vazão das cataratas estava a mais alta de todos os tempos, em torno de 46 milhões de metros cúbicos de água por segundo, mais de 30 vezes o volume comum. Tivemos sorte, pois até o dia anterior a passarela estava interditada.

Vestimos nossas capas e seguimos pela passarela, parecia que estávamos debaixo de uma tempestade. O banho é muito grande, e meu desejo era de estar sem capa e de roupa de banho, mas por ser inverno estava com a capa e um agasalho, o que não atrapalhou em nada meu banho. Molhou menos, mas molhou muito! É um banho de lavar a alma, sensacional!

Depois de muitas fotos e vídeos seguimos a rota e fomos à loja de souvenir e depois ao restaurante Porto Canoas. No restaurante, você mostra a identificação de que está com o guia e ganha um desconto. O almoço custa em torno de R$50/pessoa e inclui apenas a comida, podendo de servir à vontade. Bebidas e sobremesas são cobradas à parte.

Caso não queira almoçar no restaurante, também há uma lanchonete tipo McDonalds, mas nem cheguei a ver os preços.

Perto do restaurante tem outras lojinhas com souvenir e outros itens, e logo depois tem um ponto de ônibus, e de lá mesmo você pega o ônibus de volta para a entrada do parque (caso você não esteja com excursão) ou pega o ônibus da agência de turismo e segue para o hotel. Como optamos por visitar o Parque das Aves em seguida, optamos em descer do ônibus na saída do parque, pois um fica ao lado do outro.

Dica para as cataratas: leve uma capa de chuva e se quiser tomar banho por lá leve outra roupa numa mochila. Mesmo com a capa os pés ficam molhados, então levar um novo par de meias pode ajudar. Se você for em época que a vazão esteja normal, certamente vai te molhar menos. Caso você queira comprar a capa lá, vende em todos os lugares, inclusive vendia na calçada do hotel que ficamos hospedados. No centro de artesanato que fica na estrada no caminho para as cataratas custa R$5 (cinco reais).

Veja também:

DIA 1: Duty Free Shop Puerto Iguazu (Argentina)
DIA 2: Cataratas Brasileiras, Parque das Aves e compras na Argentina
DIA 3: Compras no Paraguai, Itaipu Binacional e Cassino no Paraguai

 

Sobre Priscila Lima

Administradora apaixonada por viagens e que aproveita cada dia de folga para descobrir uma coisa nova pelo mundo. Compartilhar informações sobre qualquer coisa e cuidar deste site são seus passatempos favoritos.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

*

Subir
%d blogueiros gostam disto: