Home / Roteiros / África / Ferry de Tarifa para Tânger
Ferry de Tarifa para Tânger

Ferry de Tarifa para Tânger

Este post é para deixar dicas de como fazer a travessia de ferry de Tarifa para Tânger, da Espanha para o Marrocos, já que pesquisei em tantos fóruns e não consegui encontrar as respostas para as minhas perguntas.
Vou considerar um itinerário saindo de Tarifa, na Espanha, e indo para Tânger, no Marrocos.

(Veja as 7 dicas imperdíveis de como planejar a sua viagem inesquecível!)

Como se faz a travessia?
A empresa que faz o transporte e a day-trip é a FRS. Ao entrar no site logo se vê o menu “Excursiones”, e a partir daí são dadas algumas opções. Custa em torno de 35 euros e demora cerca de 40 minutos para fazer a travessia.

Compra da day trip
A compra pode ser feita pelo site ou no local. Na rua do porto de Tarifa há uma loja dessa empresa, fica quase em frente à entrada do porto, não tem erro. É preciso apenas o passaporte para realizar a compra do bilhete e aceitam cartão de crédito. Ao comprar, o funcionário vai entregar um papel branco e outro amarelo para que seja preenchido pelo passageiro e entregue um na ida para o Marrocos (o branco) e o outro na volta para a Espanha (o amarelo).

(Veja Como Fazer seu Roteiro usando o Google Maps!)

Como funciona a imigração?
Ida: a imigração só confere o passaporte e o ticket da passagem, o embarque no navio é bem tranquilo. Lá dentro do navio se deve ir a um balcão central onde tem um funcionário carimbando as passagens e recebendo o papel branco.

Dica: todos vão a este balcão ao entrar no navio e fica a maior fila. Se preferir, espere a fila acabar e depois vá.

Volta: ao entrar no porto de Tânger, logo se mostra a passagem e se entrega o papel amarelo. Como as pessoas estão vindo da África para a Europa, há um pouco mais de rigor quando se chega a Espanha, mas nada de extraordinário. Para quem for residente na UE acredito que facilite a entrada mostrar a carteira de residente junto com o passaporte.

Comércio em Tânger
Quase insuportável. O prazer do comerciante marroquino é negociar, parece que se você não fizer isso é uma desfeita para eles. E eles fazem de tudo para não perder a venda. Quando eles acham que a venda tá se perdendo, eles perguntam “quanto vale isso para você? Diga seu preço, e seu eu não puder vender, eu te digo ‘obrigado’, mas diga seu preço, pois essa é a nossa tradição, nossa cultura.” E é. Chega ao ponto de você não ter argumento para não comprar, é algo realmente chato andar pelas ruas e ouvir o mesmo vendedor insistir vinte vezes para você comprar uma pulseira, um instrumento musical, uma carteira, um camelo de madeira (souvenir). Então se você não quiser passar por isso, finja que não viu ninguém perto de você e passe adiante, pois se o vendedor perceber que você olhou para o produto dele, mesmo que tenha sido sem querer, você terá um seguidor pelos próximos 10 minutos.

O guia da day-trip
Como todas as viagens guiadas, a desvantagem é ter alguém dizendo a você o que fazer e te levando a lugares meramente comerciais, lugares onde você jamais iria se o guia não tivesse te levado lá. No caso dessa day-trip, o roteiro é o seguinte:
1º momento: o guia está em Tânger esperando pelo grupo que comprou a day-trip, e todo mundo deve estar usando colado em sua roupa um adesivo fornecido quando você compra o pacote. O guia vai identificar seu grupo por ele. Depois de reunir todos, o guia segue para a medina. Você vai passar 1 hora subindo ladeiras por becos e ruelas estreitas, com moto, carro, cachorro passando pelo meio do grupo de turistas como se eles não estivessem lá. As pessoas ficam fastando para um lado e para o outro para dar passagem aos carros na medina.
2º momento: o guia leva o grupo para almoçar. A refeição está inclusa no pacote, mas as bebidas não. Enquanto o almoço é servido, um grupo fica tocando músicas regionais e no fim do almoço eles passam pedindo um dinheirinho.
3º momento: de volta à medina, o guia leva os turistas a duas lojas, a primeira é de tapetes, e se você tiver interessado em comprar, pode barganhar que dá certo. Depois o guia leva todos para um boticário, uma loja que vende essências, cremes, cajal, pimenta etc. O vendedor faz uma apresentação de uns 30 minutos e segundo ele, nessa loja tem remédio pra tudo.
4º momento: após a última loja, os turistas têm 1h livre na medina.
5º momento: city tour
6º momento: passeio de camelo (não incluso no pacote), mas é só uma voltinha na rua, acho que não chega a 2 minutos. Custa em torno de €2,00 (dois euros).Dicas: não precisa se preocupar com o câmbio, pois lá aceitam euro. Sugiro a quem nunca foi ao Marrocos ter um guia, pois até mesmo os mochileiros acostumados a viajar por todos os lugares correm risco de se perder nas ruas da medina, as placas são em idioma local apesar de muitos falarem espanhol. E mulheres, não se preocupem, eles não vão trocar você por um camelo. 🙂 Ah, e como no mundo todo, eles conhecem um brasileiro de longe, bastam ouvir você para falarem de Garrincha, Kaká (o mais famoso por lá) e Pelé.
Bem, mesmo a cidade sendo suja, os vendedores indo atrás de você e o guia te levando a lugares que são do interesse dele, vale a pena conhecer um lugar com idioma, cultura e religião tão diferente do que vivemos. Não podemos entrar nas Mesquitas, mas é interessante ver o local onde eles lavam os pés para pode entrar e rezar, em direção a Meca. Presenciar pessoas rezando em qualquer lugar. Enfim, é uma experiência muito interessante.

E você, já foi ao Marrocos? Conte pra gente como foi sua experiência! 🙂

Sobre Priscila Lima

Administradora apaixonada por viagens e que aproveita cada dia de folga para descobrir uma coisa nova pelo mundo. Compartilhar informações sobre qualquer coisa e cuidar deste site são seus passatempos favoritos.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

*

Subir
%d blogueiros gostam disto: