Home / Dicas / 7 dicas imperdíveis para você planejar sua viagem
7 dicas imperdíveis para você planejar sua viagem

7 dicas imperdíveis para você planejar sua viagem

Quando criança, sempre observei os mapas pendurados nas paredes da minha casa e adorava ficar traçando rotas entre as cidades que eu nunca nem imaginei conhecer. Depois que comecei a viajar e a tomar gosto pelos roteiros, percebi que a viagem começa muito antes do embarque ou de pegar a estrada, começa com o planejamento.

(Clique aqui e veja Como Fazer seu Roteiro de Viagem no Google Maps)

Então resolvi fazer este post com 7 dicas imperdíveis para você planejar sua viagem, falando de coisas básicas que devemos fazer para diminuirmos a probabilidade de problemas ou frustrações durante a viagem.

Iniciamos o planejamento nos perguntando coisas simples como “Aonde ir?”, “Quando ir?”, “Quanto tempo?”, “Como?”, “Quanto custa?”, “Onde pesquisar?”. Outros fatores imprescindíveis serão citados ao final deste post para complementar estes tópicos.

1. Aonde ir?

Campo, neve, praia: você precisa saber aonde vai. Não tem certeza? Então faça uma lista de todos os lugares do mundo que você quer conhecer (eu sei, eu sei, isso é muito difícil!), depois comece a organizar estes lugares por continente, país, região. Listou coisa demais? Elimine a metade e assim vá cortando o que não for tão importante assim, ou simplesmente liste por prioridade, pelo que você tem mais vontade de conhecer. Tente ser organizado para facilitar o planejamento da sua viagem. Guarde estas informações para mais tarde associar aos outros tópicos e completar o planejamento.

2. Onde pesquisar?

Guias, sites, mapas, blogs, amigos que já viajaram, revistas, panfletos de agências de turismo. Anote tudo, recorte, salve nos favoritos, liste no seu caderno, faça uma planilha eletrônica. Caso tenha lugares que você já sabe que quer visitar, entre no site oficial do local, anote os horários e dias de funcionamento. Muitos museus e outros pontos turísticos não cobram nada em domingos e feriados. Tome nota de dias comemorativos e datas folclóricas, pode enriquecer (ou até mesmo atrapalhar) sua viagem.

3. Quando ir?

Geralmente trabalhamos e dependemos das férias para viajarmos, mas se for um período de folga decidido por você, pode ser bem mais interessante, pois você pode pesquisar a melhor época para visitar seu destino escolhido lá no tópico 1. Lembre que uma cidade que tem as 4 estações bem definidas na verdade se torna 4 cidades. Cada época vai ter seus festivais, suas festas e suas paisagens, completamente diferentes uma da outra.

O que você deve levar em consideração para escolher a melhor época para viajar:

  • Lembre que enquanto é verão no Brasil, é inverno na Europa (e em outros lugares). Pesquise a região que você quer visitar e certifique-se qual a estação e se a temperatura vai ser suportável (para você). Roupa de frio usada no Brasil pode não fazer o mesmo efeito em um inverno do Canadá, por exemplo, onde a temperatura chega a -20˚C. O calor do verão de Sevilla (Espanha), por exemplo, pode chegar a 45˚C. Nem todo mundo está preparado para temperaturas extremas, principalmente se você é do tipo que adora conhecer os lugares fazendo caminhada o dia inteiro.
  • Fique por dentro do que se passa no mundo. Ninguém com vontade de viver vai querer visitar uma zona de conflito, quando tropas estão prontas para começar uma guerra. Informe-se sobre seu destino.
  • E já que falamos sobre estações, considere o item “vestuário“, pois dependendo de quando você for viajar e para onde, o guarda-roupa mudará radicalmente.

4. Quanto tempo?

Aqui neste tópico não pensaremos apenas em quantos dias de viagem você terá, mas quanto tempo de voo, na estrada, no trem você gastará se deslocando de uma cidade para outra. Por isso a importância de classificar as cidades por países e regiões, evitando com que você passe mais tempo dentro de um avião do que curtindo as férias. A proximidade entre as cidades é muito importante para facilitar o deslocamento e dar agilidade à viagem.

É importante conhecer como funciona o transporte das cidades por onde você vai passar. Aliás, se você vai com pacote turístico, a agência faz tudo para você. No caso de pessoas que viajam por conta própria, é importante saber o tempo de percurso entre o hotel e o aeroporto, levando em consideração se vai pegar metrô, táxi, horário de pico, se é feriado na cidade onde você está, enfim, leve em consideração estes pontos para não haver frustrações na viagem.

Sobre quanto tempo ficar em cada cidade, depende muito de cada pessoa. Alguns dizem que para cidade menores, dois dias é suficiente; já para grandes cidades, como Londres, Paris, Nova Iorque, pelo menos 5 dias. Mesmo comprovando esta teoria na prática, acho uma decisão bem particular, mas em geral funciona.

Se nas suas pesquisas você tiver visto que no entorno da cidade que você vai se hospedar tem coisas interessantes a serem feitas, faça um bate-e-volta, uma day-trip (viagem de um dia),  vale a pena. Exemplos: está em Berlim, faz um bate-e-volta para Potsdam; em Toronto, faz para Niagara Falls; em São Paulo, faz para Aparecida; em Lisboa, faz para Óbidos; em Buenos Aires, faz para Colonia del Sacramento.

Quando for comprar as passagens de uma cidade para outra, leve em consideração que você, além do trânsito que já falamos, ainda precisa fechar a conta no hotel (check-out). Se for alta temporada ainda é possível que você depare com o saguão do hotel (ou do albergue) lotado de gente. Então controle seu horário, afinal ninguém quer perder o voo e ter dor de cabeça em plenas férias. Também não esqueça de conferir o fuso-horário. Muita gente viaja com dois relógios para não se atrapalhar, mas você também pode alterar a hora no celular mesmo, afinal é ele que vai te acordar todos os dias. 😉

5. Como ir?

  • Decida o meio de transporte e comece a pesquisar a melhor rota, as melhores empresas, os melhores serviços. Promoções são sempre bem-vindas! 🙂 Mas só compre as passagens depois de definir o que foi dito em todos estes tópicos (ou em quase todos). Você tem a opção de ir por uma cidade e voltar por outra, então não se apresse comprando ida e volta do mesmo lugar. Planeje com antecedência.
  • Preste atenção caso queira usar trens. Dependendo do trecho que você queira fazer, do tempo que você tem e da sua disposição financeira, às vezes compensa mesmo ir de avião. Se quiser experimentar ir de trem, e principalmente se quiser ir à noite, opte por uma cabine que te permita uma boa noite de sono.
  • Passagens de trem, avião ou ônibus compradas com antecedência geralmente oferecem descontos. Em alguns países, também é oferecido desconto em passagens para jovens até 30 anos, ou universitários etc. Leia as letrinhas pequenas dos sites, pois podem te ajudar a ter um descontinho.
  • Voos de baixo custo (low cost), compensam para quem viaja com uma mochila de 40 litros (uns 6 quilos) e leva dentro do avião, pois apesar de existirem sim passagens com preço bem abaixo dos praticados por empresas maiores (já vi voo de Porto para Paris por 4 euros – é inacreditável – e essas passagens acabam em 1 minuto, obviamente), você não tem direito a nada a não ser que pague, e aí as taxas (de despachar mala, por exemplo) são tão caras que nem sempre o low cost vale a pena, a passagem termina saindo pelo preço de um voo normal (e que não te cobra até para respirar dentro do avião).

6.Quanto custa?

O quanto você tiver disponível a pagar. Considerando que a maioria das pessoas viaja na classe econômica, as passagens saem os mesmos preços, mas em questão de alimentação e hospedagem, cada um faz o que julgar melhor para si (e para o seu bolso).

  • Para baratear sua viagem é interessante ficar de olho em promoções, trocar as passagens por milhas ou pontos, e entre cidades próximas, ir de ônibus, trem ou voo low cost, observando sempre as condições impostas pela empresa. Se tiver com outras pessoas, pode ser que alugar carro seja interessante dependendo do trecho.
  • Tente se programar para pagar sua viagem toda antes de ir. Fazendo isso, o gasto que você terá depois da viagem será apenas o da fatura do cartão de crédito do que você gastou durante a viagem. Parcelas intermináveis de companhias aéreas podem até dificultar o planejamento e a economia para a sua próxima viagem.
  • Cuidado com o câmbio. Em muitas cidades, como Buenos Aires, por exemplo, há câmbio feito na rua (não-oficial) e é possível que te passem alguma cédula falsa.
  • Nem pense em viajar sem um cartão de crédito internacional. E se já tiver um mas nunca tiver usado fora do país, ligue para o seu banco e o libere para transações internacionais.
  • Faça um VTM (Visa Travel Money) por garantia. Este cartão é feito nas casas de câmbio e serve para saque e compras com débito. Antes de viajar vá acompanhando a cotação da moeda que quer comprar e se tiver em baixa compre e coloque no VTM. Caso a moeda aumente quando você estiver viajando, não vai alterar o valor pelo qual você comprou, e consequentemente será mais vantajoso pagar suas compras com o VTM que no cartão de crédito, pois além da cotação alta ainda terá o IOF, que já foi pago por você no ato da compra no VTM. 

7. Detalhes imprescindíveis:

  • Observe se a sua cidade de destino exige visto prévio e/ou vacina para permitir sua entrada.
  • Leia um pouco sobre a cultura local. Quando viajamos somos nós que temos que nos adaptar à cultura do lugar, seguindo seus ritos sociais e alguma vezes religiosos. Aliás, acho isso fantástico, ajuda para que façamos, de fato, uma imersão, vivendo o que as pessoas nativas vivem.
  • Faça um seguro-viagem. Mesmo que a viagem seja por sua conta, sem intermédio de agência de turismo, vá até uma delas e compre um seguro. Nunca se sabe quando vamos precisar. E na verdade em muitos destinos o seguro é obrigatório.
  • Tenha seu passaporte sempre acessível, para caso seja solicitado, você imediatamente possa apresentá-lo. Nunca ande sem ele, pois é sua identificação internacional.

Lembre-se que o planejamento é necessário para deixar tudo mais organizado, permitindo um controle melhor financeiro e uma melhor logística, sem surpresas desagradáveis. Viajar sem o mínimo de informações necessárias pode inclusive comprometer sua segurança.

Aproveite as dicas e boa viagem! 🙂

Sobre Priscila Lima

Administradora apaixonada por viagens e que aproveita cada dia de folga para descobrir uma coisa nova pelo mundo. Compartilhar informações sobre qualquer coisa e cuidar deste site são seus passatempos favoritos.

6 comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicadoOs campos marcados são obrigatórios *

*

Subir
%d blogueiros gostam disto: